Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

09/04/2014 - 18h23

Algumas dicas para receber os visitantes estrangeiros

A hospitalidade de um país é mostrada de várias maneiras, cidades amigáveis, boa sinalização turística, transportes e hospedagem que atendam as necessidades dos viajantes, e segurança. Nesse pacote a receptividade do povo também tem papel importante.

Os países que estão acostumados a receber grandes contingentes de turistas sabem que precisam cuidar com carinho dos que os visitam, considerando que turismo é fonte de renda para a cidade e para o país.

Nisso, as regras de etiqueta para quem deseja ser hospitaleiro pregam o respeito ao outro que é novo na cidade e a importância de fazer com os visitantes sintam-se bem recebidos.

Para os brasileiros, meio caminho já esta andado, nossa natureza é ser gentil. Mas, faltam-nos alguns cuidados tais como entender que só a alegria não dá conta de mostrar o melhor de nós e que precisamos prestar atenção para não tentar impor indiscriminadamente nosso jeitinho de ser.

Não se trata de tentar mudar o que esta no nosso DNA, mas fazer uso de algumas regrinhas que podem somar e nos ajudar a passar uma boa imagem logo no primeiro contato com os turistas:

  • Ser pontual. A falta de pontualidade dos brasileiros é um dos pontos de desvantagem contra nós. Dependendo do país de origem do viajante isso é inaceitável. Para turistas como japoneses, ingleses, alemães, suíços e americanos atrasos são considerados uma tortura. Meia hora de espera para nós é considerável aceitável, mas para esses estrangeiros, por exemplo, além de grosseria é falta de organização e desleixo.
  • Cumprir o que prometeu. Falar que vai fazer algo e deixar a pessoa na mão na última hora não existe em certos países. A palavra dada serve como contrato e deve ser respeitada em qualquer circunstância.
  • Manter distância da pessoa enquanto conversa. Para muitos estrangeiros a proximidade física não é bem vinda. Assim, manter uma distância de no mínimo um metro quando conversar com um turista é de bom tom e revela respeito.  Para se ter uma ideia da importância de se manter uma distancia razoável, na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos as pessoas mantêm, num relacionamento entre conhecidos, distâncias que variam de 45 centímetros até 2 metros. Nos lugares públicos essa distância aumenta para até 2,5 metros. 
  • Beijos e abraços podem não ser bem vindos, dependendo de quem vai recebê-los, é bom manter certa prudência antes de sair cumprimentando com muita proximidade os estrangeiros. Para começar um aperto de mão firme e um sorriso dão conta de mostrar hospitalidade.
  • Respeitar as filas, não dar “carteirada” para obter favores e respeitar os lugares marcados é ponto de honra em muitos países e deve ser observado em qualquer circunstância.
  • Equilíbrio na simpatia, alegria e expansividade. Ao mesmo tempo em que nosso jeitinho de ser é uma vantagem competitiva para atrair turistas é uma desvantagem na medida em que muitos que aqui vêm acreditam que as mulheres, por exemplo, não precisam ser levadas tão a sério. Mudar essa imagem vai depender em grande dose das experiências por quais passam os turistas que nos visitam.

Facilitar a vida dos viajantes que aqui chegam é o caminho certo para melhorar nossa imagem lá fora. Pensar que um turista leva de volta as experiências pelas quais passou e naturalmente os depoimentos favoráveis ou não sobre o país que visitou. Ter isso em mente e ser o mais receptivo e educado possível é condição primordial para ser bem visto e atrair cada vez mais turistas para o nosso país.

 

ver mais dicas

Destaques

Currículo
Cuidado na sua redação
Carreira
A Escolha da Profissão
Sabe a diferença?
Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
Colunas
Daniela do LagoDaniela do Lago
Cezar TegonCezar Tegon
Eugenio MussakEugenio Mussak
Elaine SaadElaine Saad
Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
Judith BritoJudith Brito
Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
Luiz PagnezLuiz Pagnez
Boletim
Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

É necessário informar um e-mail