Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

13/03/2013 - 12h21

Da porta para fora

Você já deve ter ouvido aquela “regra” de que “problemas pessoais, só da porta para fora da empresa”, e já deve até ter tentado segui-la. Mas até que ponto é possível separar sua vida pessoal de sua vida profissional? E o que fazer quando o fator de desequilíbrio emocional está envolvido no seu expediente?

 

Para poder manter as emoções em ordem e administra-las dos colegas é preciso ter consciência sobre si mesmo, ou seja, é necessário que você saiba o que coloca e tira você dos trilhos do equilíbrio emocional.

 

Há algum tempo atrás falava-se em equilíbrio entre vida pessoal e profissional.  O fato de equilibrar as áreas nos remete a ideia de separação.

Hoje não falamos mais em equilibrar e sim em integrar todas as áreas de sua vida.

 

As áreas que temos em nossas vidas são familiar, equilíbrio emocional, área espiritual, relacionamento intimo, lazer, saúde, carreira, desenvolvimento intelectual, área financeira e vida social.

 

Todas estas áreas requerem ações e atenções distintas. O que estas áreas tem em comum é que você é único responsável por administra-las. Portanto, se uma área não vai bem, provável que esse sentimento se reflita nas outras áreas também, afinal somos seres humanos e não da para segmentar e racionalizar quando falamos de emoção, mas por outro lado quando enfrentamos um problema não significa que “tudo” em sua vida está mal.

 

Se estamos felizes em casa provavelmente essa boa emoção se refletira no trabalho e quando estamos tristes com o trabalho, sem dúvida que levamos nossas preocupações para nosso lar. Por isso que temos que ter consciência de nossas responsabilidades para não prejudicar mais áreas de nossas vidas, ou seja, para o problema não se tornar maior do que deveria.

 

Após descobrir os limites do seu temperamento emocional, tenha sempre um plano de emergência em caso de situações extremas. Se por acaso a conversa for para um rumo no qual é capaz de te tirar do sério, crie uma estratégia para refrescar a cabeça, como por exemplo, pedir licença e sair da sala para tomar água.

 

Se o problema pessoal for sério, notifique a chefia ou o departamento de recursos humanos, mas não é necessário entrar em detalhes. Se precisar chorar, não reprima o choro, mas também não exagere para não assumir papel de vitima e se eximir de suas responsabilidades profissionais.

 

Quando estamos passando por um grande problema, acredito que o mais difícil de aceitar é que o mundo não para que você se conserte. O dia seguinte amanhece, a rotina das pessoas não mudam, tudo segue seu curso.

E infelizmente não podemos apertar botão de pause para nos ajustarmos.

 

Tropeços na vida são inevitáveis, mas a infelicidade é escolha sua. Muitas vezes não podemos mudar o que fato que aconteceu, mas sempre podemos escolher como reagir a isso. Então se soubermos as ações que cada área de nossa vida requer de nós, ficaremos mais satisfeitos e mais preparados para enfrentar de maneira positiva os problemas do dia a dia.

ver mais dicas

Destaques

Currículo
Cuidado na sua redação
Carreira
A Escolha da Profissão
Sabe a diferença?
Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
Colunas
Daniela do LagoDaniela do Lago
Cezar TegonCezar Tegon
Eugenio MussakEugenio Mussak
Elaine SaadElaine Saad
Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
Judith BritoJudith Brito
Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
Luiz PagnezLuiz Pagnez
Boletim
Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

É necessário informar um e-mail