Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

21/05/2012 - 09h00

Perigo à vista. Você é capaz de visualizá-lo

"A partir do momento em que um profissional assume uma posição em nova empresa ele se torna vulnerável. Se ele não atende as expectativas da organização, será demitido. Se satisfaz todas as suas demandas, ele simplesmente adia o dia de sua demissão. Portanto, ele nunca deve esquecer que a espada de Dâmocles paira permanentemente sobre sua cabeça.”

 

Por acaso você conhece algum profissional que não tenha se surpreendido com a notícia de sua demissão? Eu, particularmente, trabalho na área de outplacement há mais de três décadas e jamais encontrei alguém que tenha me dito: “Sim, eu sabia que ia ser demitido”, mesmo quando suas últimas avaliações apontavam nessa direção – a demissão.

 

Recentemente, assessorei uma executiva em seu projeto de transição de carreira cuja experiência ilustra nossa observação e afirmação. No último ano, ela teve uma avaliação de desempenho que pode ser considerada desastrosa. Ela não cumpriu os objetivos da diretoria que ocupava. Passados seis meses após essa avaliação, veio a surpresa, seu chefe a chamou para uma reunião e friamente lhe disse que a empresa não necessitava mais de seus serviços.

 

Surpresa com a notícia, ela entrou em pânico. Não compreendia como após dez anos de trabalho intenso e alto comprometimento fora demitida de forma tão fria e impessoal.

 

Aqui está uma verdade simples, porém objetiva: “Nenhum profissional está imune a demissão.” Se presidentes de grandes corporações são demitidos – Yahoo, HP, Siemens, Google, Ford, GM, Best Buy, entre tantas outras, o que o faz pensar que não será demitido em algum momento de sua carreira e vida?

 

Profissionais demitidos comumente perceberam sinais indicativos de perigo, mas não os leram corretamente. Algumas vezes, esses sinais são extremamente sutis. Entretanto, na maioria das vezes, eles são tão óbvios quanto uma clara manhã de verão. Sim, eles estão lá. Fique atento e identifique o seu grau de risco:

 

  • Avaliação de desempenho medíocre. Seu chefe está enviando um claro sinal de advertência: “Você não está indo bem.” Portanto, ao receber feedback negativo sobre seu desempenho anual, reflita e aja rapidamente. Se não o fizer, os sinais se manterão acesos e a sua demissão fatalmente ocorrerá.

 

  • Insatisfação no trabalho. Nada contribui mais para uma demissão do que a perda da motivação e do entusiasmo com o que você empreende. Portanto, avalie cuidadosamente o nível de paixão que você cultiva com o seu trabalho. Não seja complacente, amorfo, passivo ou desinteressado. Reanime-se ou procure novo trabalho.

 

  • Isolamento. Ele é fatal. Por uma simples razão: Você, ao se retrair, sai do radar do seu chefe e não recebe apoio social de seus colegas. Sua posição tornar-se-á insustentável sem uma rede que o proteja.

 

  • A chegada de novo chefe. É muito comum ocorrerem demissões quando um executivo assume uma posição em nova empresa. Portanto, antes de fazer qualquer comentário sobre seu novo chefe, observe, escute e colabore. Se ele perceber que você não o “engole”, fatalmente você será demitido. Seja prudente.

 

Existem inúmeros outros sinais que indicam que a sua demissão pode ocorrer – fusões, aquisições, problemas financeiros e tecnológicos, fechamento, transferência de plantas industriais, mudança de cultura, etc. Portanto, fique atento e preste muita atenção à todos eles.

 

Quero frisar que atualmente somente 20% das demissões são ocasionadas por desempenho medíocres, 20% porque não há química com superiores imediatos e 60% em decorrência de fusões, aquisições e reorganizações.

 

Caro leitor, se você deseja se proteger contra uma demissão sugiro que tome as seguintes providências:

 

  • Mantenha uma reserva financeira equivalente a três anos de sua remuneração anual.

 

  • Cultive ampla rede de relacionamento, interna e externamente. Essa rede poderá ampará-lo em momentos de bonança e também de turbulência.

 

  • Mantenha-se sempre bem informado em seu campo de atividade. Pesquise, estude e esteja à frente de seu tempo.

 

  • Procure se tornar “indispensável” em sua empresa. Tecnicamente, isso é impossível. Entretanto, quando agrega valor a sua empresa todos os dias, amplia suas competências e cultiva uma atitude positiva em tudo o que realiza, entre outros comportamentos, certamente você terá condições de empreender uma carreira sustentável.

 

ver mais dicas

Destaques

Currículo
Cuidado na sua redação
Carreira
A Escolha da Profissão
Sabe a diferença?
Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
Colunas
Daniela do LagoDaniela do Lago
Cezar TegonCezar Tegon
Eugenio MussakEugenio Mussak
Elaine SaadElaine Saad
Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
Judith BritoJudith Brito
Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
Luiz PagnezLuiz Pagnez
Boletim
Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

É necessário informar um e-mail