Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

14/06/2011 - 15h23

Você sabe dar feedback? Aprenda a fazer críticas construtivas utilizando a técnica do sanduíche

A crítica é parte fundamental do processo que visa orientar as pessoas a apresentarem comportamento e desempenho adequados em uma determinada situação.

 

Toda crítica que recebemos em relação ao que realizamos é de essencial importância para nosso aprendizado e crescimento. Ela permite modificar nossa maneira de lidar com determinadas situações e trabalhar com maior empenho em busca de melhores resultados.

 

 

Pessoas bem-sucedidas sabem valorizar as críticas que recebem de chefes, subordinados, colegas, clientes, fornecedores e aprendem a utilizá-las em proveito próprio. Elas reconhecem a importância quando a verdadeira intenção está voltada para aprimorar desempenhos e relacionamentos. A capacidade de criticar construtivamente, de saber receber críticas e utilizá-las em proveito próprio é fundamental, não apenas no ambiente de trabalho, mas também nas relações sociais e familiares.

 

O objetivo deste artigo é ajudá-lo a fazer críticas construtivas da maneira mais adequada.  É o tipo de feedback que tem sempre o foco no aspecto positivo, essencial para que a pessoa não perca sua motivação. A prática do feedback construtivo pode realmente fazer a diferença no desempenho das pessoas.

 

Para facilitar seu aprendizado, vou repassar a famosa "técnica do sanduíche" (criada em 1996 por Roland e Frances Bee), já bastante comentada em artigos, livros e revistas da área de gestão de pessoas.

 

Imagine que você queira fazer um sanduíche em sua casa. Quais seriam os passos para fazê-lo? Pois bem, o feedback construtivo também pode ser feito da mesma forma que você faz seu sanduíche, em três passos: Cortar o pão, passar um molho, rechear e fechar o pão. Agora veja como usar isso ao dar um feedback:

 

Primeiro passo - Base do pão: inicie a conversa com ênfase e valorização dos pontos fortes daquele colaborador. Lembre-se: o objetivo do feedback é aprimorar um comportamento ou desempenho daquele colaborador. Você está prestes a comentar algo que não deu certo e, ao iniciar a conversa se expressando positivamente, indicará que esse “bate papo” terá desfecho assertivo.

 

Segundo Passo - Recheio: Exponha pontos a serem melhorados. A exemplo do seu sanduíche, essa é a parte mais importante, por isso vou descrevê-la em tópicos:

 

a) Descreva que aconteceu: Qual é o problema? Tenha bem claro o que precisa ser alterado e o motivo.  Cite um exemplo real. Esse é um ponto crucial. É essencial que a pessoa compreenda qual é o ponto. Em seguida, que ela aceite que há um problema. E, finalmente, é importante que ela veja que há a necessidade de mudar.

 

b) Ouça: Permita que o colaborador exponha suas dúvidas e motivos de suas possíveis dificuldades.

 

c) Descreva o comportamento desejado (o que se espera no final do trabalho): Seja específico. É muito importante deixar claro o desempenho ou resultado esperado. Muitas vezes, o trabalho não é apresentado como se deseja porque as pessoas não sabem claramente o que está sendo esperado.

 

d) Procure soluções conjuntamente: Promova os ajustes necessários para a execução da tarefa, afinal isso pode não ser muito simples e o colaborador pode estar precisando de ajuda. Dê alguns exemplos, orientações e sugestões sobre como a tarefa pode ser realizada, tendo em vista o objetivo final esperado.

 

e) Chegue a um acordo: É delicado forçar a execução do trabalho da forma como você acha adequada ou agir para mudar o comportamento do colaborador. Você pode ajudá-lo e encorajá-lo diante do desafio proposto, mas nunca deve se esquecer de que é ele quem realizará a tarefa, mesmo sabendo que não fará da forma como você faria. E isso não significa que o trabalho não será bem feito.  Pense na seguinte frase: “Eu sei fazer isso muito bem, mas outros podem fazer ainda melhor”.

 

Terceiro Passo - Fechar o sanduíche: Reforce novamente os pontos positivos. Demonstre confiança na possibilidade de êxito, aperfeiçoamento e crescimento.

 

É importante frisar que você deve criar ambiente apropriado para a crítica. Busque falar com o colaborador em um local adequado, em particular e isento de interrupções. A crítica é sempre em particular, o elogio em público. Nunca o contrário.

 

Faça uso dos passos da técnica do sanduíche para melhorar os relacionamentos na empresa. Você também pode utilizá-la para revisar seu desempenho depois da sessão de crítica e, assim, fazer a si alguma crítica.

 

 

ver mais dicas

Destaques

Currículo
Cuidado na sua redação
Carreira
A Escolha da Profissão
Sabe a diferença?
Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
Colunas
Daniela do LagoDaniela do Lago
Cezar TegonCezar Tegon
Eugenio MussakEugenio Mussak
Elaine SaadElaine Saad
Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
Judith BritoJudith Brito
Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
Luiz PagnezLuiz Pagnez
Boletim
Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

É necessário informar um e-mail