Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

15/04/2011 - 15h21

Fui demitido! Como sacudir a poeira e dar a volta por cima

A demissão faz parte do jogo da vida profissional. O que o profissional faz com a sua demissão é decisivo para o sucesso ou o fracasso.

 

Da mesma forma que você poderá pedir demissão e deixar a empresa a qualquer momento, respeitado o aviso prévio, é claro, a empresa também poderá te demitir. Cada um age em função dos próprios interesses. E sempre que um rompimento não é feito de acordo mútuo, uma das partes sofre. É assim tanto nas relações profissionais quanto nas pessoais.

 

Pense na seguinte situação: Se você está trabalhando numa empresa e outra lhe oferece o dobro do salário, mais benefícios e um cargo melhor, você pedirá a conta da empresa em que estava trabalhando, confere? A direção de sua empresa, poderá se magoar com você. Assim também é no processo inverso, quando, por alguma razão estratégica, é a empresa que o demite – e aí é a sua vez de ficar magoado.

 

Se você foi demitido, encare o fato da seguinte forma: Já passou. Sua demissão já está consumada. Assim é a lei do mercado de trabalho.

 

A questão agora passa a ser: Como “sacudir a poeira” desse tombo para recomeçar e retornar ao mercado de trabalho?

 

Vamos lá!

1 – Não duvide de seu talento: Jamais duvide do seu profissionalismo e de sua capacidade de ser útil numa organização. Se nesta última empresa essas características positivas não foram reconhecidas e utilizadas, esteja certo de que em outra empresa (se você for criterioso na escolha da próxima) terá a oportunidade de mostrar suas competências.

 

2 – O que passou, passou e “bola pra frente”: Não há como mudar o passado. Ficar se questionando o porquê não agiu de outra forma ou ficar lamentando que as coisas não correram como você esperava é improdutivo e não mudará a realidade.

 

3 - Não culpe o mundo corporativo pelo que lhe aconteceu: Isso seria uma lamentável generalização. Não se despreza a música porque um cantor desafinou. Não se deixa de admirar o cinema porque alguns filmes não agradaram. Há ótimas empresas e ótimos empregos. Além disso, convenhamos que não foi o trabalho que o prejudicou.

 

4 – Agilize o envio de seu currículo para toda sua rede de contatos: Porém não espere decisões rápidas, seja paciente. Procure participar de vários processos seletivos, essa é uma prática comum no mercado e não fique ansioso, pois a resposta pode demorar. Enquanto você aguarda resposta de um contato feito, continue incansavelmente com sua campanha de recolocação, fazendo aquilo que chamamos de network.

 

5 - Não abuse das “fugas”: Algumas pessoas têm uma tendência irresistível de compensarem suas preocupações com “fugas”, ou seja, atividades que lhes dão enorme prazer e que supostamente ajudam-nas a esquecer ou suportar melhor problemas reais, como por exemplo dormir o dia todo ou até mesmo abusar da bebida.

 

Como tudo na vida, a moderação e o bom senso devem nortear o seu contato com a realidade: às vezes, em certas circunstâncias, pode até ser divertido fugir. Outras vezes, o remédio é enfrentar mesmo a realidade.

 

Recomendo que mesmo que permaneça em casa, seu dia deve ser encarado como um dia normal de expediente profissional. Você deve agir, portanto, como se estivesse trabalhando. Além disso, a qualquer momento, você precisará falar com alguém interessado na sua contratação, seja por telefone, seja pessoalmente. Nesses momentos, sua prontidão será decisiva.

 

6 - Nem tudo está bem, mas também não é o fim do mundo: As situações devem ser tratadas conforme sua natureza e vivenciadas com a intensidade que lhes for adequada. Nem mais, nem menos. Não estou dizendo para simplificar o que é sério, muito menos dramatizar o que é simples. Encare a realidade com a devida responsabilidade e seja espontâneo com seus sentimentos.

 

Quando estiver num processo seletivo, de nada vai adiantar tentar artificializar suas atitudes para mostrar ao entrevistador que está tudo bem e que não está preocupado com sua situação, pode passar a imagem de um irresponsável, bem como demonstrar um ar dramático de vítima despertará compaixão e venderá a imagem de “um pobre coitado”.

 

Mostre-se você mesmo, adequando seu comportamento ao momento. Se for a uma festa, divirta-se. Se for a uma entrevista, encare-a com seriedade e profissionalismo.

 

Tenho certeza de que você conseguirá dar a volta por cima num curto espaço de tempo. Desejo sucesso em sua transição de vida e de carreira.

ver mais dicas

Destaques

Currículo
Cuidado na sua redação
Carreira
A Escolha da Profissão
Sabe a diferença?
Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
Colunas
Daniela do LagoDaniela do Lago
Cezar TegonCezar Tegon
Eugenio MussakEugenio Mussak
Elaine SaadElaine Saad
Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
Judith BritoJudith Brito
Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
Luiz PagnezLuiz Pagnez
Boletim
Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

É necessário informar um e-mail