Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

21/03/2011 - 18h50

Os principais motivos de demissão e como agir diante deles

 

Vivemos um período de pleno emprego. O índice de desemprego no Brasil é um dos mais baixos em toda sua história. Nunca tantos profissionais trabalharam com a carteira de trabalho assinada e, consequentemente, protegidos pelas Leis do Trabalho.

 

No entanto, essa realidade não impede que alguém seja demitido. Ao estudarmos as causas mais comuns das demissões nos dias atuais, descobrimos que elas têm as seguintes causas:

 

- O desempenho do profissional está muito abaixo do que espera a sua organização. 

- O profissional tem um desempenho excepcional e isso representa uma ameaça à carreira do superior imediato.

- A “química” pessoal não é compatível com a do superior imediato ou da própria organização.

- O profissional foi surpreendido por uma das seguintes circunstâncias: fusão, aquisição, reorganização, entre inúmeras outras.

- O profissional é desonesto.

 

Qualquer que seja a causa da demissão, todo profissional pode transformá-la em trampolim para alçar voos mais altos. Tudo depende de como ele a encara.

 

Vejamos algumas providências que podem ser tomadas à luz das causas geradoras da demissão:

 

- Esforce-se para desenvolver novas competências, adquirir novos saberes, melhorar substancialmente seus hábitos de trabalho e assumir uma posição mais proativa.

 

- Busque aprimorar suas habilidades políticas. Isto é, apóie o seu chefe, mesmo achando que ele é incompetente, inseguro e que se sente ameaçado diante de um subordinado mais preparado.

 

- Em caso de fusão e aquisição, não se intimide, crie atritos ou resista às mudanças propostas pelos novos gestores. Faça todo o esforço possível para apoiá-los em sua gestão. Tolo é todo aquele profissional que deseja ser mais realista do que o próprio rei.

 

- Caso sua demissão tenha sido causada por algum ato desonesto, sua recolocação se torna mais difícil. Entretanto, não é impossível, desde que você reconheça o seu grave erro, diga que se arrepende amargamente do que fez e que corrigiu o seu mau comportamento. Se puder, que restitua tudo o que roubou da empresa. 

 

Caro leitor, procure se conduzir em sua empresa e na execução de seu ofício de maneira que a sua reputação, imagem, competência, inteligência social, entre outras questões, nunca venham a ser questionadas. Ao agir com maturidade, responsabilidade e sabedoria, você nunca necessitará justificar a causa de sua demissão.  

 

ver mais dicas

Destaques

Currículo
Cuidado na sua redação
Carreira
A Escolha da Profissão
Sabe a diferença?
Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
Colunas
Daniela do LagoDaniela do Lago
Cezar TegonCezar Tegon
Eugenio MussakEugenio Mussak
Elaine SaadElaine Saad
Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
Judith BritoJudith Brito
Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
Luiz PagnezLuiz Pagnez
Boletim
Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

É necessário informar um e-mail