Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

10/01/2011 - 12h16

Dez momentos que podem determinar o sucesso ou insucesso de sua carreira

 

“A sabedoria do prudente é entender o seu próprio caminho.”

 

Provérbios 14.8

 

 

Quem quer que tenha se debruçado sobre a leitura do Livro do Eclesiastes ou o Pregador deixou de ler de maneira atenta e reflexiva as seguintes palavras:

 

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu: 

há tempo de nascer e tempo de morrer;

tempo de plantar e tempo de se arrancar o que se plantou; 

tempo de matar e tempo de curar;

tempo de derrubar e tempo de edificar;

tempo de chorar e tempo de rir;

tempo de prantear e tempo de saltar de alegria;

tempo  de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras;

tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar;

tempo de buscar e tempo de perder;

tempo de guardar e tempo de deixar fora;

tempo  de rasgar e tempo de coser;

tempo de estar calado e tempo de falar;

tempo de amar e tempo de aborrecer;

tempo de guerra e tempo de paz.”     

 (Livro do Eclesiastes 3. 1-8).

 

 

Sim, sabemos que há tempo para todas as coisas debaixo do sol e que cada minuto da vida é de valor inestimável, quer o utilizemos com sabedoria ou não.  Entretanto, há momentos ao longo do curso da vida que parecem ser mais valiosos do que outros. São aqueles os quais os filósofos denominam de “axis points.” Eles são determinantes do sucesso ou insucesso de um profissional, quer ele esteja no começo, no meio ou fim de sua carreira. Afinal, o tempo e a oportunidade perdidos jamais se recuperam.

 

 

 

E quais são esses momentos, “axis points” ?

 

1.     O momento da primeira entrevista de emprego. Todo profissional tem apenas sete segundos para causar um impacto positivo sobre o entrevistador por ocasião da primeira entrevista. Aqui, os fatores mais importantes são  a imagem que projeta, o nível de preparo que exibe e a desenvoltura ao discorrer sobre seu histórico.

 

2.     O momento em que recebe uma oferta de trabalho. Tenho assessorado muitos profissionais que desperdiçaram diversas oportunidades de trabalho simplesmente porque não souberam negociar com o empregador em potencial a primeira oferta de trabalho. Eles inflacionaram o preço de seu passe ou aceitaram uma oferta aquém de suas necessidades. Consequentemente, em poucas semanas estavam profundamente infelizes e em busca de novo emprego.

 

3.     O primeiro dia de trabalho em nova empresa. Oprimeiro dia de trabalho é fator determinante de seu futuro, por mais controvertida que seja essa afirmação. Portanto, todo o cuidado é pouco ao encontrar os membros de sua nova equipe e também ao projetar sua imagem. Ela poderá ser aceita ou rejeitada imediatamente. Tudo dependerá de sua postura, atitude, comunicação, comportamento, hábitos, etc.

 

4.     O momento de sua avaliação de desempenho. Nenhum profissional deveria ir para uma reunião de avaliação de desempenho com o superior imediato sem ter feito antecipadamente a sua lição de casa – preparar-se cabalmente. Isto é, ter em mãos todos os dados que confirmam o seu alto desempenho e a contribuição dada aos negócios ao longo do ano. Infelizmente, a maioria dos profissionais age de maneira displicente nesse quesito. Eles vão para essas reuniões totalmente despreparados. E aí acabam se dando muito mal.

 

5.     O momento da solicitação voluntária da demissão. Não raro, muitos profissionais abdicam de uma boa colocação simplesmente porque se impressionam com a grama aparentemente verde de um novo empregador, ou mesmo uma oferta de trabalho irrecusável. Eles deixam de considerar outras questões também importantes – cultura da organização, filosofia, estilo da alta administração, desafios, mercados em que opera etc. E, consequentemente, pagam alto preço pelo resto da vida. Portanto, nunca solicite sua demissão se não tem algo melhor para fazer.

 

6.      O momento da demissão involuntária. Esse é um instante determinante para a viabilização do sucesso ou insucesso de uma carreira. Portanto, tudo depende de como o profissional a encara e gerencia. Toda a sabedoria é requerida nesse instante.

 

7.      O momento em que o profissional é preterido à nova promoção. Comumente, esse instante é acompanhado de sentimentos distintos – dúvida sobre o futuro da carreira, decepção, injustiça e de vítima, etc.

 

        Nenhum profissional deveria se deixar abater nessa hora. Afinal, esse é um sinal indicativo de que algo precisa ser feito urgentemente. Portanto, pergunte ao seu chefe o que você precisa fazer para avançar na organização e faça imediatamente. Mesmo que você não o respeite ou ele não seja o melhor chefe, ao fazê-lo você estará valorizando o passe dele e fazendo um bom jogo político. Não confunda essa atitude com bajulação barata.

 

 

8.     O momento em que os seus valores pessoais são colocados à prova. Se esses forem deixados de lado por ganhos momentâneos, tudo desabará mais rápido do que se pode esperar como rochas em estado de decomposição. Os exemplos são abundantes nesse quesito. Vejam o que aconteceu recentemente com os ex-executivos do Banco PanAmericano e da Renault-Nissan.

 

        Nesse sentido, as palavras do General Douglas MacArthur devem ser mantidas diante de nossos olhos e gravadas em nossas mentes: “Os valores ensinam-lhe a ser altivo e firme no fracasso, mas humilde e nobre no sucesso; a não substituir palavras por atos, a não procurar o caminho fácil, mas enfrentar a tensão e o estímulo da dificuldade e do desafio. Aprender a se levantar na tempestade, mas ter compaixão daqueles que caem; a se controlar antes de procurar controlar os outros; a ter um coração limpo, um objetivo nobre.”

 

9.      O momento em que o profissional é colocado para fazer uma apresentação para a alta-administração.

 

        John Sculley, ex-presidente da Apple, diz em “Odissey - Pepsi to Apple: A Journey of Adventure, Ideas and the Future”, que quando era vice-presidente da Pepsi-Cola gastava quarenta e cinco dias de preparo para fazer uma apresentação de apenas cinco minutos. James Kiltz, ex-CEO da Gillette, em “Doing What Matters”, afirmou que comumente se preparava durante o ano inteiro para fazer uma apresentação com duração de uma hora em uma organização de varejo de Nova York.

 

 

10.      O momento em que o profissional é exposto a novos ambientes e pessoas. 

 

        Há profissionais que, quando expostos à luz e ao calor de novos ambientes apequenam-se, murcham e desaparecem. Eles não são notados e também não despertam nenhuma atenção. Entretanto, há outros que se agigantam, brilham e chamam a atenção. São aqueles com quem todos desejam estar por perto e usufruir de sua luz.

 

Caro leitor, cada movimento que você faz em sua carreira assemelha-se a um tabuleiro de xadrez. Um movimento correto pode levá-lo à vitória. Já um movimento errado ou precipitado poderá colocar em cheque tudo o que conquistou no passado, ou  inviabilizar o seu futuro.

 

Sugiro que você, qualquer que seja o momento que vive atualmente, aprenda, se fortaleça e cresça com ele. Os fracos se intimidam, fraquejam e deixam passar as oportunidades que a vida lhe deu. Depois querem se passar por vítimas. Lembre-se que ninguém tem compaixão de você. Por outro lado, os preparados e  fortes estão sempre dispostos a encarar os momentos e eventos da vida com destemor, ousadia e desprendimento. Eles encaram esses momentos como oportunidades para avançarem em suas carreiras.

ver mais dicas

Destaques

Currículo
Cuidado na sua redação
Carreira
A Escolha da Profissão
Sabe a diferença?
Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
Colunas
Daniela do LagoDaniela do Lago
Cezar TegonCezar Tegon
Eugenio MussakEugenio Mussak
Elaine SaadElaine Saad
Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
Judith BritoJudith Brito
Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
Luiz PagnezLuiz Pagnez
Boletim
Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

É necessário informar um e-mail