Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

20/09/2010 - 18h17

Processo seletivo: faça a sua parte, use sempre gentileza e educação

Observamos com perplexidade e desconforto o elevado nível de incivilidade nas relações interpessoais no ambiente de trabalho. A impressão, muitas vezes dominante, é aquela observada pelo renomado filósofo alemão, Arthur Schopenhauer, sobre a sociedade de seus dias: "Este mundo é um campo de batalha de seres atormentados e agonizantes que continuam a existir apenas devorando-se uns aos outros".

A cada dia tomamos conhecimento sobre novos fatos que apontam o agravamento dessa realidade e que tornam os profissionais céticos e críticos com relação a empresas e seus gestores.

Ao observar e tomar conhecimento sobre o elevado nível de incivilidade nas organizações, o que mais me assusta é quando isso se apresenta como pura falta de educação e se manifesta durante as entrevistas. Esse tipo de comportamento, muito comum em nossos dias, compromete a imagem da empresa e de seus gestores.

Vejamos alguns exemplos dessa incivilidade:



  • Um profissional é chamado para uma entrevista em conhecida empresa nacional. Ele chega para a entrevista no horário combinado. Entretanto, toma um "chá de cadeira" de três horas antes de ser atendido e entrevistado. A mensagem transmitida por esse entrevistador é cristalina - "O meu tempo é mais valioso do que o seu".


  • O executivo participa de cansativo e prolongado processo seletivo - entrevistas, testes psicológicos, de raciocínio lógico e de conhecimentos gerais - todavia, muitas vezes, para a sua frustração, ele não recebe nenhuma notícia da empresa contratante sobre a conclusão do projeto de seleção do qual participou.


  • Executiva, minha cliente em processo de transição de carreira, se apresentou a convite de uma conhecida empresa de recrutamento e seleção. Ela foi recebida efusivamente pela secretária e pela consultora responsável pelo projeto. Entretanto, ao ser apresentada ao diretor-geral da empresa, esse a cumprimentou e disse: "Você aparenta ser mais velha do que é realmente". O inusitado: ela tem apenas 50 anos, é simpática, carismática, educada, comunicativa, bem formada, entre outras qualidades.


  • Diretor de tecnologia de conhecida empresa de telecomunicações sentia verdadeiro prazer quando recebia um candidato para a entrevista e esse lhe entregava um currículo. A sua primeira e mais chocante reação era, para intimidar o candidato, rasgar o currículo e atirá-lo na lata do lixo. E, geralmente, complementava a sua visível grosseria com as seguintes palavras: "O papel aceita tudo. Não tenho interesse na leitura sobre o que você escreveu sobre você mesmo. Quero que você me fale sobre você e a sua carreira sem muletas".


Meu caro leitor, se você um dia se deparou ou vier a cruzar com um profissional grosseiro por ocasião de uma entrevista, recomendo que aja com grandiosidade, generosidade e elevado grau de educação. Se você reagir de maneira intempestiva, se tornará igual a ele. Portanto, sugiro que você adote o seguinte comportamento:



  • Nunca responda a comportamentos incivilizados com mais incivilidade. Isso somente fará aumentar a sua ira, o seu ceticismo e a sua descrença nos homens e nas organizações. Essa é a pior coisa que pode acontecer a você.


  • Mantenha-se focado e não permita que os incivilizados lhe amedrontem ou o firam. Se agir assim, eles nunca serão capazes de atingir ou ferir a sua alma e dignidade.


  • Todos os dias, quando você se levantar de sua cama, lembre-se de que você encontrará ao longo do seu dia de trabalho todo tipo de pessoa - o inteligente e o medíocre, o amargurado e o feliz, o bem-sucedido e o mau-sucedido, o rico e o pobre, o trabalhador e o preguiçoso, o doente e o sadio, o pessimista e o otimista. Portanto, aprenda a conviver com eles, pois estarão sempre por aí.


  • Nunca se esqueça de que para cada profissional incivilizado de plantão que encontrar em seu processo seletivo, você também encontrará um número substancialmente maior de pessoas, homens e mulheres, que o tratarão com educação, respeito e consideração. Aproxime-se desses e esqueça os primeiros. Afinal, eles não acrescentarão nada, absolutamente nada, a sua carreira e futuro. Portanto, não desperdice as suas energias com esse tipo de profissional. A carreira deles, em geral, é muito curta.

ver mais dicas

Destaques

Currículo
Cuidado na sua redação
Carreira
A Escolha da Profissão
Sabe a diferença?
Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
Colunas
Daniela do LagoDaniela do Lago
Cezar TegonCezar Tegon
Eugenio MussakEugenio Mussak
Elaine SaadElaine Saad
Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
Judith BritoJudith Brito
Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
Luiz PagnezLuiz Pagnez
Boletim
Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

É necessário informar um e-mail