Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

09/08/2010 - 19h19

Avalie-se depois da entrevista de emprego

Recentemente, maio de 2010, assessorei com absoluto sucesso o diretor geral de grande empresa multinacional alemã em seu processo de transição de carreira. Profissional com 54 anos e com inúmeras dúvidas sobre futuro de sua carreira.

Durante o período em que esteve sob nossa orientação, aproximadamente 40 dias, ele participou de quatro processos seletivos, inclusive na Alemanha, onde foi entrevistado por membros do conselho de administração da empresa que o contratou.

Todas as vezes em que nos sentávamos para discutir e avaliar o seu desempenho durante as entrevistas, ele me dizia: "Ah, Gutemberg, como seria bom se pudéssemos ler a mente de nossos entrevistadores, a fim de saber o que eles acharam sobre o nosso perfil e quais as nossas reais chances de contratação. Essa capacidade, por si só, afastaria de nossa mente muitas de nossas incertezas e, consequentemente, tornaria essa jornada menos dolorosa, insegura e estressante".

Infelizmente, Deus não nos criou e nos dotou com essa capacidade, apesar de todos os nossos esforços para desvendar a mente de nossos interlocutores. Que pese tamanha deficiência, sabemos que tão logo os candidatos saem das entrevistas, os entrevistadores se reúnem em salas fechadas e em caráter confidencial, a fim de avaliar cada candidato - sua presença e postura, formação acadêmica, histórico profissional, competências mais relevantes, realizações mais notáveis, nível de adequação às necessidades atuais e futuras da organização, potencial, entre outras questões. Em síntese, eles fazem o seu trabalho de maneira crítica, completa e competente - eles determinam quem eliminarão do processo.

Não raro, em decorrência de meu trabalho, encontro inúmeros profissionais que se comportam de maneira displicente em relação a esse assunto, apesar de toda a instrução e orientação transmitidas. Eles vão para a entrevista, porém não fazem nenhuma anotação que os capacite a fazer uma leitura competente e lúcida sobre a mente dos entrevistadores.

É uma lástima tal comportamento, uma vez que é a sua carreira e o seu futuro profissional que estão em jogo e risco. Caro leitor, se você deseja obter sucesso na condução de suas entrevistas - ser contratado - obedeça as seguintes regras:




  • Prepare-se cabalmente para as entrevistas e saiba tudo sobre o modus operandi de um processo seletivo. Estude e pesquise sobre tudo, absolutamente tudo. O candidato mais preparado sempre levará vantagem sobre o despreparado.

  • Escreva em um bloco de anotações todas as perguntas que deseja fazer ao entrevistador durante a entrevista. Não confie em sua memória. Ela pode falhar no momento de pressão e estresse. Uma recomendação: cuidado com as perguntas óbvias e banais. Você poderá passar por tolo.

  • Tome nota de todas as indagações e comentários relevantes feitos pelo seu interlocutor. Essas informações serão extremamente valiosas no momento em que você for avaliar seu desempenho durante a entrevista e preparar a sua carta de agradecimento. Examine-as cuidadosamente.

  • No momento em que você estiver preparando a sua avaliação sobre a entrevista, certifique-se de que tem respostas objetivas às seguintes perguntas: Esta é uma posição nova ou é uma substituição? Quais os motivos que o fizeram deixar a empresa? Qual é o perfil do candidato ideal? Quais serão as suas atribuições mais importantes? Como você descreve o seu futuro chefe e subordinados? Você se sentiu seguro por ocasião da entrevista? O que na sua observação despertou maior atenção e interesse no entrevistador - sua formação acadêmica, ex-empregadores, experiência, habilidade com idiomas, flexibilidade, características pessoais, outros? Quais foram as perguntas mais difíceis de serem respondidas e como você as respondeu? O gerente ou diretor que o entrevistou é a pessoa com quem você verdadeiramente deseja trabalhar? O que diz a sua intuição? Na sua visão, o que o diferenciou de outros candidatos por ocasião da dinâmica de grupo?


  • Certamente, essas perguntas não esgotam o arsenal de questões que podem ser feitas, a fim de ajudá-lo na avaliação de seu desempenho pós-entrevista. Elas procuram apenas conscientizá-lo sobre a sua importância. Se você verdadeiramente se preocupa com o futuro de sua carreira, recomendo que examine todas as coisas, principalmente, você mesmo.

    Caro leitor, um profissional que é senhor de si mesmo e de seu próprio destino tem grande vantagem sobre aquele que é dominado pelos outros ou pelas circunstâncias momentâneas da vida. Portanto, cuide de seu destino ou alguém fará por você de maneira perversa. Faça anotações!

ver mais dicas

Destaques

Currículo
Cuidado na sua redação
Carreira
A Escolha da Profissão
Sabe a diferença?
Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
Colunas
Daniela do LagoDaniela do Lago
Cezar TegonCezar Tegon
Eugenio MussakEugenio Mussak
Elaine SaadElaine Saad
Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
Judith BritoJudith Brito
Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
Luiz PagnezLuiz Pagnez
Boletim
Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

É necessário informar um e-mail