Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

03/03/2010 - 19h00

Eu posso ser criativo?

Você pode e deve ser criativo. Porque o tema criatividade tem ocupado cada vez mais as mentes das pessoas e porque tem se transformado rapidamente em uma exigência pessoal e profissional. Praticamente todos os dias ouvimos alguma referência a esse assunto, que é abordado de diferentes maneiras. Mas o recado é quase sempre o mesmo: o mundo está valorizando cada vez mais as pessoas criativas, até em detrimento de outras qualidades.

Acredita-se, por exemplo, que ter criatividade é até mais importante do que ter informação, e a explicação é que uma pessoa sem informação, mas com criatividade, terá condições de encontrar a primeira - e, além disso, saberá o que fazer com ela. E há, pelo menos, três justificativas para a criatividade estar sendo tão valorizada no mundo profissional contemporâneo: a competitividade cada vez maior, a grande velocidade das transformações e a valorização do empreendedorismo.

A grande competitividade é uma marca registrada de nosso tempo. Deriva do aumento da concorrência, um subproduto da globalização, e da evolução das competências das pessoas e das organizações, o que é próprio da chamada Sociedade do Conhecimento. E quando há mais pessoas e empresas competentes, mais aumenta a competitividade, o que hoje acontece em nível mundial. Para se manter no jogo da competitividade não é mais suficiente uma competência específica, por maior que seja: é preciso que a mesma esteja acompanhada da flexibilidade - e é quando entra o valor da criatividade.

As mudanças comportamentais, que são bastante impostas pela evolução da tecnologia, especialmente a da comunicação, e também pela flexibilização dos costumes, exigem o exercício da criatividade adaptativa. Dito de outra forma, para acompanhar as mudanças do mundo moderno temos de ser criativos no sentido de estarmos sempre aprimorando nosso mundo particular, tornando-o adaptado e preparado para o próximo salto.

O empreendedorismo, tão importante, é a qualidade da transformação. Veja isto: "...Ser um empreendedor é fazer o que ninguém fez, encontrar novas soluções para antigos problemas, antecipar respostas a perguntas ainda não formuladas, agilizar processos, facilitar trâmites, acelerar resultados, colocar o sorriso antes do motivo para sorrir. Empreender é gerar riqueza, patrocinar progresso, criar vida. O empreendedor não é apenas útil, é necessário, ou mais, imprescindível". E agora sabemos também que o empreendedor é um indivíduo criativo, caso contrário não conseguiria "criar" uma nova situação, que é o que caracteriza o empreendedorismo.


Inteligência criativa
Em qualquer dicionário, encontramos que "criatividade" é a qualidade do "criativo", que é o indivíduo capaz de "criar", ou seja, capaz de "dar origem", "dar existência", "produzir", "formar", sempre em relação a algo novo, que não existia até então, ou que existia diferente. Portanto ter criatividade é mais do que ter ideias. É tê-las e colocá-las em prática.

Também é importante que se diga: para ser criativo não é necessário ser gênio. Há uma relação interessante entre inteligência e criatividade, a partir da definição de inteligência como um pensamento convergente e da criatividade como um pensamento divergente. De acordo com essa visão, a inteligência é uma qualidade que depende do uso da capacidade de raciocinar de modo convencional e objetivo para chegar às soluções corretas. A inteligência converge ou concentra esforços para chegar a uma solução, usando o repertório de saberes e de raciocínios já existentes. A criatividade desconcentra, no sentido de dispersar o pensamento, abrindo um leque maior de opções para encontrar uma solução.

Colocado desta forma, parece que inteligência e criatividade são coisas separadas, diferentes e excludentes, ou seja, parece que você tem uma ou outra. É claro que não é assim. As definições acima foram criadas para a melhor compreensão dos fenômenos mentais, mas na prática há uma profunda ligação. Um mesmo tema de nossa vida, pode estar sendo analisado por meio do pensamento convergente e do pensamento divergente ao mesmo tempo.

E ambos podem ser desenvolvidos pelo uso, pela insistência, pela determinação. Se você acreditar em seu potencial criativo e o colocar em prática, procurando novas soluções para velhos problemas, estimulando a imaginação para funcionar diante do futuro e, principalmente, ousando apresentar ideias novas, mesmo que nem sempre você seja reconhecido por isso - parabéns, você está no caminho para ser uma pessoa criativa. E mais cobiçada, acredite.
 

ver mais dicas

Destaques

Currículo
Cuidado na sua redação
Carreira
A Escolha da Profissão
Sabe a diferença?
Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
Colunas
Daniela do LagoDaniela do Lago
Cezar TegonCezar Tegon
Eugenio MussakEugenio Mussak
Elaine SaadElaine Saad
Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
Judith BritoJudith Brito
Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
Luiz PagnezLuiz Pagnez
Boletim
Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

É necessário informar um e-mail