Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

09/02/2010 - 21h01

Hoje é o dia certo de pensar e agir pelo futuro da sua carreira

Viviane Macedo
Em São Paulo
Vivemos um momento de mudanças constantes. Muito do que ontem era diferencial, hoje é essencial -- sem força de expressão. Para acompanhar essa evolução acelerada do mercado, o profissional precisa estar constantemente atualizado, e mais, não deixar de pensar no futuro da sua carreira. Se sua rotina hoje é ir de casa para o trabalho e do trabalho para casa, atenção, isso deve servir como um alerta: está deixando a sua carreira parar.

Não há nada mais prejudicial para o desenvolvimento profissional que não pensar em evoluir. Essencial fazer um planejamento de carreira, pensar no que quer para daqui a cinco, sete anos, mas, o erro de muitos tem sido não começar colocar as ações em prática hoje. "Ótimo pensar em ações a serem tomadas no futuro, mas nisso, acaba se esquecendo de atitudes que precisam acontecer hoje. Não adianta pensar só para daqui cinco anos. E hoje, o que você está fazendo pela sua carreira?", questiona o gerente da Foco RH, Rudney Pereira Jr.

Graduação, cursos de especialização, cursos livres, idiomas - cada um sabe, ou deveria, qual é a maior carência da carreira atualmente. A consultora do Grupo DMRH, Tais Amaral, levanta alguns pontos a serem praticados por profissionais, independente da área de atuação.

  • Conhecer o mercado, saber o que está acontecendo na sua área de atuação e nas áreas correlatas

  • Estar por dentro das atualidades

  • Ter conhecimento das mais renomadas instituições para sua área específica e os cursos em destaque no mercado

  • Ter um bom networking e não acioná-lo apenas quando precisa, pelo contrário, manter sempre contato e trocando ideias

  • Ter um segundo idioma - o inglês é essencial, se já o domina, não deixe de praticar. No caso de buscar um terceiro idioma, estude algo que faça sentido para sua carreira



"Não tenho condições"
A conhecida frase: "Não tenho condições de pagar um curso" é, segundo Rudney, discutível. "Hoje temos uma infinidade de cursos gratuitos ou de fácil acesso. São cursos de idiomas, online, de especialização, enfim, basta ir atrás disso. Tem de ter proatividade, boa vontade de perder algumas horinhas procurando, lendo os comentários sobre o curso", aconselha o especialista.

O tempo sim é algo indispensável. "Não adianta querer estudar se não tem tempo de se dedicar a isso. Não significa que você terá de ficar horas em cima dos livros, mas é preciso dedicação, levar a serio", aponta Rudney.

Tais afirma que, infelizmente, a mentalidade de muitos profissionais ainda é "me formei, já está bom", e com isso perdem ótimas oportunidades. Aqueles que saem na frente, que não deixam o comodismo tomar conta têm chances redobradas, além de ganharem destaque e apreço do mercado. "Ouvimos muito a frase: 'a empresa não me paga um curso', essa chave precisa mudar. O profissional tem de ir à busca do seu crescimento e não ficar sentado esperando que isso chegue até ele", aponta Tais.

A questão levantada pela consultora é muito interessante. Antes, o planejamento e a própria carreira ficavam a cargo da empresa, os profissionais tinham certo que eram as organizações as grandes responsáveis pelo desenvolvimento de cada um. Hoje, se fala o contrário, que o profissional é o grande condutor da sua carreira, é dele essa responsabilidade.

Para Rudney, há uma pequena lacuna entre esses dois cenários. "O profissional é sim o grande responsável pela sua carreira, no entanto, a empresa tem parte nisso também. A partir do momento em que o profissional vê que a organização onde trabalha não oferece os desafios necessários para a sua evolução, ele precisa recuar, e talvez, até mesmo mudar de emprego", opina. "Muitos vivem a vida inteira se queixando de uma empresa que não lhe apresenta cenários de desafios, mas nada fazem para que isso mude ou para mudar isso. Reclamar sem ação não leva a lugar algum", alerta Rudney.


Seja diferente, acrescente
Já sabemos - as companhias querem cada vez mais e também podem oferecer perspectivas melhores. Como sede da Copa do Mundo e das Olimpíadas, o Brasil promete um aquecimento histórico do mercado, e muitos especialistas já falam de um apagão de mão de obra qualificada - resultado exatamente da falta de especialização e atualização profissional.

Então, seja você um dos escolhidos para estar entre os melhores, os preparados. Busque trabalhar hoje o futuro de sua carreira e não deixe isso a cargo de ninguém. "Hoje em dia, o conhecimento técnico é muito equiparado, o que realmente vai diferenciar um profissional é o que ele é, além disso, o quanto ele tem a agregar para a empresa e para o mercado", finaliza Tais.

LEIA TAMBÉM:
Dotados de múltiplas inteligências; você conhece as suas?
A demissão é previsível, sim!
Entrevista: Eugenio Mussak dá dicas para participar de processos seletivos


ver mais dicas

Destaques

Currículo
Cuidado na sua redação
Carreira
A Escolha da Profissão
Sabe a diferença?
Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
Colunas
Daniela do LagoDaniela do Lago
Cezar TegonCezar Tegon
Eugenio MussakEugenio Mussak
Elaine SaadElaine Saad
Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
Judith BritoJudith Brito
Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
Luiz PagnezLuiz Pagnez
Boletim
Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

É necessário informar um e-mail