Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

18/01/2010 - 17h31

A entrevista por telefone - saiba como conduzí-la em seu benefício

"Tempos difíceis têm um valor científico. Eles são as oportunidades que um bom aprendiz jamais perde".
Ralph Waldo Emerson

A entrevista por telefone com potenciais candidatos a uma posição se tornou prática comum e universal no mundo corporativo nos últimos anos. Vários motivos contribuem para sua viabilização e eficácia.

Um dos motivos é o moderno sistema de telecomunicações, que permite que o entrevistador entre em contato com o candidato a qualquer momento e em qualquer parte do mundo. Atualmente, não existem mais barreiras ou fronteiras entre entrevistadores e candidatos. Todos podem ser contatados em frações de segundos.

Além disso, há também a redução do tempo empregado e dos custos envolvidos na identificação e avaliação inicial de candidatos em potencial, antes mesmo desses serem convidados para uma entrevista pessoal.

Para o profissional em transição de carreira, os benefícios são também inegáveis:

O candidato não terá necessidade de se deslocar de sua residência até os escritórios da empresa contratante, a fim de conduzir a entrevista inicial. Esse, por si só, é um benefício singular, visto que ele não ficará estressado com o trânsito das grandes metrópoles.

Ele não terá também de se preocupar com o tipo de roupa que deverá usar por ocasião da entrevista inicial, os cuidados que deverá tomar com a sua linguagem corporal durante a entrevista e, muito menos, com qualquer tipo de preconceito que possa prejudicá-lo - étnico, idade, aparência pessoal, altura, peso, etc.

E, por fim, ele não alimentará falsas expectativas quanto a nova oportunidade de trabalho, se preterido na entrevista por telefone. Portanto, seu desgaste psicoemocional será significativamente menor, uma vez que o entrevistador sem nenhum constrangimento dirá que suas qualificações são incompatíveis com as exigências feitas pela empresa.

Se, por um lado, as vantagens obtidas pelo candidato a uma vaga de emprego são verdadeiras, por outro, ele não pode desprezar algumas de suas desvantagens:

>> É extremamente difícil desenvolver um relacionamento com um entrevistador quando não se pode apertar a sua mão, olhar em seus olhos, avaliar sua linguagem corporal, ver ou sentir suas reações em relação aquilo que se diz.

>> A desvantagem pode ser ainda maior se o entrevistador telefona num momento inoportuno: você acabou de se levantar da cama - dormiu até mais tarde; você teve uma prolongada e acalorada discussão com a sua esposa ou filho; você acabou de retornar de sua caminhada e se preparava para tomar seu banho matinal; ou simplesmente você não estava se sentindo bem psicologicamente naquele momento.

Essa última desvantagem é fatal para muitos profissionais, já que os mesmos são eliminados dos processos seletivos antes de serem convocados para uma entrevista presencial. Nesse caso, o entrevistador tem como referência e base apenas a sua comunicação oral - português falado corretamente, timbre de voz, lógica e clareza de suas ideias, assertividade, convicção de suas palavras e, principalmente, coerência de suas respostas às indagações feitas.

Infelizmente, muitos profissionais, a despeito da brutal concorrência nos dias atuais, não se preparam adequadamente para uma entrevista por telefone. Eles se comportam de maneira amadora e pagam um alto preço pela sua inegável displicência - a perda de uma oportunidade de emprego. Na bem da verdade, a maioria dos profissionais não sabe se vender nessa ocasião e verdadeiramente são raros aqueles que conhecem a etiqueta ao telefone.

À luz dessas observações e da importância do telefone na prospecção de nova oportunidade de trabalho, sugerimos para sua consideração e reflexão as seguintes recomendações:

 

 

  • Conheça e obedeça as regras da etiqueta ao telefone. Para conhecê-las e praticá-las no seu dia a dia de trabalho, sugiro que adquira e estude com atenção um dos livros: "The Etiquette Advantage in Business" de Peggy Post e Peter Post (1999) e/ou "O Livro Completo de Etiqueta de Amy Vanderbilt" (2000), reescrito e atualizado por Nancy Tuckerman & Nancy Dunnan.
     
  •  

     

  • Ao receber um telefonema de um headhunter ou selecionador de empresa, atenda-o com o peito cheio de energia, com voz firme e segura e, acima de tudo, preparado para oferecer respostas inteligentes às suas indagações. Tenha em mente, como adverte Peggy e Peter Post, "que a impressão que você cria depende por completo de seu tom de voz e da escolha das palavras, não de sua aparência, e isso torna ainda mais importante soar profissional e personalizado". (Peggy Post e Peter Post, obra citada, pág. 310)
     
  •  

     

  • Seja claro, objetivo e convincente em suas respostas. Não use o telefone para fazer discursos vazios e recheados de improvisos. Esse não é o melhor momento para empreendê-lo. Portanto, seja extremamente racional e focado.
     
  •  

     

  • Trate o entrevistador com educação, cortesia e elegância. Portanto, jogue no fundo do mar ou para bem longe de você, qualquer ressentimento, magoa, tristeza ou decepção com o processo seletivo do qual participou anteriormente ou do profissional que o subestimou ou o humilhou na última entrevista. Seu comportamento deve expressar o melhor que existe em você e sobre você. Sua voz deve soar como um poema ou cântico aos ouvidos de seu entrevistador.
     
  •  

     

  • Tenha ao seu alcance um bloco de anotações, lápis ou caneta e uma cópia de seu currículo. Durante a entrevista registre os pontos mais importantes de sua conversa com o entrevistador para posterior reflexão, consulta e discussão. Eles poderão ajudá-lo durante as próximas entrevistas.
     
  •  

     

  • Reserve um lugar apropriado em sua casa ou apartamento, a fim de atender aos telefonemas. Nunca atenda um chamado telefônico com a televisão ou rádio ligado. Esse é um erro comumente praticado por muitos profissionais. Evite a todo custo outras possíveis distrações - ler e-mails, folhear jornal ou livro, brincar com o cachorro, gato, etc.
     
  •  

     

  • Instrua a sua esposa ou secretária doméstica sobre a melhor maneira de atender o telefonema inesperado de um entrevistador. Essa instrução compreende: solicitar e anotar o nome correto do entrevistador, da empresa para a qual ele trabalha, os números de seus telefones e qual hora é mais apropriada para retornar a ligação, se você não estiver em sua residência. Além disso, peça à sua esposa para nunca deixar o entrevistador esperando na linha. Esse comportamento é pura falta de educação e pode desfavorecê-lo no processo seletivo.
     
  •  

     

  • Ao concluir a entrevista, agradeça efusivamente ao entrevistador e se coloque à sua disposição para lhe fornecer mais detalhes sobre sua carreira, experiência e qualificações. Se desejar, pergunte ao entrevistador quais serão os próximos passos e qual é o nível de urgência para conclusão do projeto seletivo.
  • ver mais dicas

    Destaques

    Currículo
    Cuidado na sua redação
    Carreira
    A Escolha da Profissão
    Sabe a diferença?
    Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
    Colunas
    Daniela do LagoDaniela do Lago
    Cezar TegonCezar Tegon
    Eugenio MussakEugenio Mussak
    Elaine SaadElaine Saad
    Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
    Judith BritoJudith Brito
    Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
    Luiz PagnezLuiz Pagnez
    Boletim
    Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

    É necessário informar um e-mail