Não tem cadastro? Clique aqui!

Já tem cadastro? Entre aqui

  • BUSCAR
Busca avançada de vagas

Limpar campos

07/12/2009 - 17h48

Negociação salarial: nunca inicie a discussão

Inúmeros profissionais preparados e talentosos desperdiçam oportunidades de trabalho simplesmente porque não sabem determinar com clareza e sabedoria qual é a melhor hora para iniciar a discussão sobre o seu pacote de remuneração durante o processo seletivo.

Muitos se precipitam, pois antes mesmo de concluírem a discussão sobre a posição que pleiteiam, responsabilidades envolvidas, desafios no presente e oportunidades futuras, indagam sobre que tipo de pacote de remuneração é oferecido pela empresa. Nesse caso, a imagem que muitas vezes passam é a de profissionais preocupados apenas com o salário e os benefícios oferecidos. E nenhuma empresa deseja investir em um profissional com esse tipo de comportamento.

Há outros, ainda, que na ânsia de conquistarem nova posição no mercado de trabalho, aceitam a primeira oferta que aparece sem nenhuma avaliação mais aprofundada sobre o impacto que o pacote de remuneração terá sobre o seu presente e futuro financeiro. Nessa circunstância, comumente eles têm o passe desvalorizado, comprometem seu padrão de vida e, raramente, retornam aos patamares conquistados anteriormente.

E, quando desejam manter um padrão de vida incompatível com a sua receita financeira, normalmente fazem dívidas e se tornam escravos de seus credores. Como sabemos, nada é mais devastador para os indivíduos do que dívidas. Elas, além de roubarem a autoestima, corroem na maioria das vezes o seu futuro pessoal e profissional.

Por tudo isso, a negociação salarial é uma etapa de extrema importância, portanto, exige preparo, paciência, tempo para reflexão, consultas e comparações.

Além disso, em algumas situações, a negociação salarial exige algum tipo de sacrifício e concessão. O profissional, por exemplo, poderá sacrificar parte de seu pacote financeiro no presente para se beneficiar melhor no futuro. Ou, ainda, poderá sacrificar parte de sua remuneração, a fim de obter ganhos de qualidade de vida, entre outros benefícios. Tudo tem de ser meticulosamente avaliado. O mais importante é sentir-se feliz e satisfeito com as concessões e os sacrifícios feitos. Afinal, o dinheiro não compra tudo.

A negociação salarial tem um ritual próprio e peculiar. Portanto, não o viole:

  • Identifique todas as suas prioridades, inclusive financeiras, e escreva-as em uma folha de papel. O erro mais comum e também o mais praticado é que os profissionais exploram tudo sobre a empresa, a posição, os desafios e o pacote de remuneração, porém se esquecem de fazer o exercício mais importante - definir suas reais necessidades e prioridades.
     
  •  

     

  • Nunca discuta sobre pacote de remuneração com o empregador em potencial até que ele o tenha conhecido cabalmente e expresse que você é o candidato.
    - Nunca aceite discutir salário até que você tenha obtido todas as informações sobre a empresa, corpo executivo, valores, filosofia, objetivos estratégicos, posição a ser preenchida e, acima de tudo, esteja convencido de que é esse o verdadeiro lugar onde deseja trabalhar.
    -Negocie outras coisas, além de salário.
    - Mesmo que o pacote de remuneração não vá de encontro com suas expectativas, peça tempo para pensar - 24 a 72 horas.
    - Nunca aceite uma oferta pressionado pelo gestor.
    Palavra de advertência: se você encontrar um entrevistador que antes de entrevistá-lo em profundidade, a primeira pergunta que ele o faz é: "que salário você tem? ou quais são as suas pretensões salariais?", você está diante de um profissional despreparado. Ele não leu o seu currículo e, pior ainda, ele não sabe o que está fazendo. Portanto, evite a todo custo dizer o salário que você deseja. O entrevistador deve saber qual é a faixa salarial em sua empresa ou do mercado de trabalho.
     
  •  

     

  • Pesquise sobre a remuneração de mercado para a posição em questão antes mesmo de qualquer negociação. Converse com amigos e gestores de recursos humanos sobre o assunto; consulte pesquisas que são divulgadas por empresas especializadas; fale com profissionais que ocupam posição idêntica e converse sobre sua remuneração, entre inúmeras outras fontes. Seja investigativo.
     
  •  

     

  • Agora, que você fez o exercício de casa, certamente está melhor preparado para negociar e tomar a decisão final - aceitar ou rejeitar a oferta de trabalho. Portanto, olhe para o presente e jamais despreze o futuro, por mais distante que ele pareça estar.

    Caro leitor, um pacote de remuneração bem estruturado e negociado pode lhe colocar em vantagem superior a dos profissionais amadores, cuja base de negociação depende quase que exclusivamente de seu salário atual. Esses são profissionais que olham apenas para o próprio umbigo. Daí porque eles não vão muito longe nas organizações. Veja um profissional preocupado apenas com o salário e terá diante de si um indivíduo frustrado, sem conhecimento de suas reais e verdadeiras prioridades. São esses os que dizem que a empresa não reconhece o seu trabalho.
     
  • ver mais dicas

    Destaques

    Currículo
    Cuidado na sua redação
    Carreira
    A Escolha da Profissão
    Sabe a diferença?
    Recolocação, Outplacement , Headhunting e Coaching
    Colunas
    Daniela do LagoDaniela do Lago
    Cezar TegonCezar Tegon
    Eugenio MussakEugenio Mussak
    Elaine SaadElaine Saad
    Gutemberg de MacêdoGutemberg de Macêdo
    Judith BritoJudith Brito
    Licia Egger MoellwaldLicia Egger Moellwald
    Luiz PagnezLuiz Pagnez
    Boletim
    Receba por e-mail o boletim do Emprego Certo

    É necessário informar um e-mail